Skip to content
OLIVEIRA MARCO / VIEMOS EM PAZ

OLIVEIRA MARCO / 8000 QUADROS

Discos Percebes

Daino

Daino é João Costa, figura incontornável da cena eletrónica lisboeta. Produtor e Dj, Daino é teclista  professional, professor de música, engenheiro de som e compositor/designer de som para videojogos.

Contando já com algums EP’s lançados , o trabalho de Daino foi pela primeira vez lançado em vinil em 2020, com o seu EP “Crescendo”, que contém todos os ingredientes que fazem deste disco um classico do futuro. Com três temas originais e uma remistura, este é o disco perfeito para os que adoram intensidade emocional e de passar música para um público mais exigente, à semelhança de nomes como Gerald Mitchell, Mike Banks ou Mike Grante mas também Jovonn, Tonnt Humphries ou MAW. Um EP completo, que define na perfeição o deep house na sua forma mais clássica, “Crescendo” contém elementos do house de New Jersey em “What U Need”, ou de disco funk e techno no tema “Quiescence” e ainda de blues/gospel em “Glory”. Todos os temas são uma demonstração perfeita das raízes jazz-funk de Daino em conjugação sublime com as matrizes house e techno da música eletrónica.

Hélder Russo

Hélder Russo é considerado um dos talentos mais autênticos da cena eletrónica em Portugal. Cresceu nos anos 90 e como tal as suas referências musicais estão naturalmente ligadas à música urbana dessa altura – desde o hip hop dos Wu Tang Clan ao house de Armand Van Helden ou Adamski’s Thing – mas também à música dos PALOP’s que ouvia em casa desde a infância, marcada por nomes como Orlando Pantera, Ferro Gaita e Cesária Évora. Outras das suas duas grandes influências são o electro e o new wave da década de 80, e o seu trabalho como produtor é  prova disso: um mosaico composto por várias sinergias musicais distintas mas com a música negra – nas suas mais variadas vertentes – como denominador comum: desde o jazz, passando pelo soul e o funk até ao complexo e abstrato techno de Detroit na sua forma mais pura e tradicional, fortemente marcado pela estética afrofuturista dos seus primórdios mas também as novas gerações de produtores que continuam a manter vivo o som único e inconfundível de Detroit.

Desde as suas primeiras produções – para editoras como a Groovement e a Tomorrow Is Now Kid!. – desenvolveu um cunho e assinatura próprios, primando sempre pela sinceridade, originalidade e rigor técnico, sem nunca cair nas fórmulas repetidas do passado.

O seu percurso como DJ é igualmente interessante e consistente, influenciado de forma elegante e eclética por alguns dos seus artistas de referências como Theo Parrish, Louie Vega, Carl Craig, entre outros, mas sempre com um cunho muito único e pessoal.

Discos Percebes